sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Estatuto da Igreja do Mundofeliz do Astronauta Ben Caetano.

Alguns acreditam que o Astronauta é deus, mas ele diz que não é , e que se fosse também diria que não é, para que cada um pudesse escolher seu deus, ou nada. (ele mesmo é ateu)
Na Igreja do Mundofeliz, você escolhe ser membro fiel ou membro infiel. Podendo acreditar na divindade  profética do Papacino Astronauta ou não. Ele mesmo diz que todos os fiéis são loucos e que os infiéis tem razão, que ele é só um cara engraçado, mas que os membros podem acreditar no que quiserem, desde de que isso não impeça o outro de ter o mesmo direito, e que não zoem o deus eleito, para não "quebrar a corrente." O deus eleito até agora não é o Papacino, e por ele, nunca será.
 Você também pode escolher uma divindade diferente para sua célula e crescer com seu próprio deus inzoável, desde sua casa até áreas maiores, aumentando a jurisdição do inzoamento através de eleições justas, onde a maioria decida escolher seu deus como deus eleito local. Não há condenação para quem zoa um deus eleito, não existe crime de blasfêmia, mas deverá se entender se não for mais convidada a estar presente uma pessoa que zoe a quem seja considerado ícone máximo de uma casa. Onde nada for escolhido pela maioria, o símbolo será a palavra "Nada" no idioma local, a congregação será infiél, se tornando uma das preferidas do Papacino (o Papacino prefere os infiéis como ele, mas aceita os fiéis e inclusive assina os milagres atribuídos por fiéis que creêm neles, mas diz que isso é para não ferir o direito deles de acreditar em uma loucura dessas... ele prefere congregações e células infiéis, pois diz que é mais fácil de entender o sentido desses lugares).
 Onde nada for escolhido pela maioria, apenas Nada é inzoável, e salve-se quem puder pois a zoeira é livre.






























































































Continua. Mande sua sugestão como membro para o estatuto da Igreja. O Papacino Astronauta agradece.






Nenhum comentário:

Postar um comentário